O Peixe e o Galo

Por Site Oficial em

Por: Odir Cunha

Na soma geral dos jogos e nos confrontos pelo Campeonato Brasileiro o Santos tem uma pequena desvantagem contra o Atlético Brasileiro, mas nas partidas mais importantes a supremacia santista é total.

O primeiro embate importante entre ambos ocorreu nas quartas de final do Campeonato Brasileiro/ Taça Brasil de 1964. O Santos venceu em Belo Horizonte por 4 a 1 e goleou no Pacaembu por 5 a 1, na maior goleada que infligiu ao alvinegro mineiro.

Ainda mais relevante foi a semifinal do Campeonato Brasileiro/ Taça de Ouro de 1983, na qual o Santos novamente se saiu melhor com uma vitória por 2 a 1 em São Paulo e um empate sem gols no Mineirão.

Para completar essa tríade de confrontos marcantes, pulamos para as quartas de final da Copa do Brasil de 2010, em que o Atlético ganhou em Minas por 3 a 2, mas foi derrotado por 3 a 1 na Vila Belmiro, eliminado mais uma vez pelo Glorioso Alvinegro Praiano.

Na soma de todos os jogos, como lembra nosso minucioso Centro de Memória, o Peixe e o Galo já se enfrentaram 94 vezes, com 34 vitórias do Santos, 24 empates e 36 derrotas, e 136 marcados e 141 sofridos.

Só pelo Campeonato Brasileiro ambos se defrontaram em 64 oportunidades, com 22 vitórias, 17 empates e 25 derrotas, 87 gols pró e 93 contra. E como seriam os jogos apenas no Estádio Independência Sim, também temos essa informação. Lá foram sete jogos, com duas vitórias santistas, um empate e quatro vitórias do Atlético. O Santos marcou 10 gols e sofreu 12.

A seguir, fichas técnicas de confrontos importantes entre ambos.

Primeira partida entre as duas equipes:

Dia: 05/10/1938

Santos FC 2×0 Clube Atlético Mineiro

Estádio Urbano Caldeira

Amistoso. Árbitro: Júlio Correa Mello

Gols: Ruy e Aurélio

SFC: Victor Lovecchio; Neves e Wanderlino; Figueira, Gradim e Ulysses; Sacy, Moran, Zé Carlos, Aurélio e Ruy. Técnico: Anibal Torres (Camarão).

CAM: Kafunga; Linthon e Quim; Cafifa, Pedrinho e Bala; Paulista, Sellado, Guará, Nicola e Resende. Tecnico: Ewando Becker.

Maior goleada santista diante dos mineiros:

Dia: 25/10/1964

Santos FC 5×1 Clube Atlético Mineiro

Estádio do Pacaembu – São Paulo

Campeonato Brasileiro/64

Renda: Cr$ 7.950.800,00 – Público: 14.193

Árbitro: Luís Pereira Filho

Gols do SFC: Toninho (2) – Pelé (2) e Peixinho,

Gol do CAM: Buglê

SFC: Laércio, Lima, Mauro, Joel Camargo e Geraldino; Zito (Cido) e Mengálvio; Peixinho, Toninho, Pelé e Pepe. Técnico: Luiz Alonso Perez, o Lula

CAM: Luiz Peres; Marcelino, Grapete, Bueno e Décio Teixeira; Luis Carlos e Buglê; Toninho, Adauri, Nilson e Adãozinho. Técnico: Afonso Silva.

Principais artilheiros santistas no confronto:

1 – Pelé, 10 gols. 2 – Toninho Guerreiro, 7. 3 – Neymar, 6. 4 – Ricardo Oliveira e Cléber Pereira, 5 gols. 6 – Elano, 4.

NENHUMA FINAL

Guilherme Gomez Guarche

O Santos nunca jogou uma final com o Atlético Mineiro em campeonatos importantes, mas em três torneios nos quais se encontraram na decisão, o time santista venceu o torneio Quadrangular de Belo Horizonte em 1951, perdeu o torneio Ramon de Carranza em 1990, e no torneio Governador Roberto Santos, em 1975, o Santos jogou duas partidas contra os mineiros na semifinal: venceu uma e empatou outra, vencendo nos pênaltis, terminando por levantar o título.

Há uma curiosidade sobre esse último torneio, disputado em Salvador: Pelé, que já tinha abandonado o futebol, voltou a jogar pelo Santos no empate de 1 a 1 diante do Bahia, sendo esse seu último título conquistado com a camisa do Alvinegro Praiano.

Final do Quadrangular de Belo Horizonte:

Dia: 04/03/1951

Santos FC 2×0 CA Mineiro

Estádio Octacílio Negrão de Lima – Belo Horizonte (MG)

Gols: Nicácio e Odair

SFC: Robertinho; Hélvio e Expedito; Nenê, Pascoal e Ivan; Cento e nove (Pinhegas), Antoninho (Nando), Nicácio (Leônidas), Odair e Alemãozinho. Técnico: Niginho.

CAM: Kafunga; Juca e Márcio; Afonso (Haroldo), Zé do Monte e Carango; Lucas, Lauro, Ublado, Lero e Nívio Técnico.: Yustrich.