Peres explica razões para paralisar processo de impeachment no Santos

Por Terra em

Peres explica razões para paralisar processo de impeachment no Santos

Presidente do Peixe vê procedimento sendo conduzido de forma política e conseguiu liminar na última quinta-feira para entrar com provas para sua defesa

10 ago 2018 06h03

atualizado às 06h04

O presidente José Carlos Peres conseguiu na última quinta-feira uma liminar que bloqueou o andamento de seu impeachment no Santos. Ao LANCE!, o mandatário explicou as razões para paralisá-lo.

Peres paralisa processo de impeachment no Santos

Peres entende que não teve todos os detalhes das acusações, portanto não teve direito de sua ampla defesa. Para ele, o caso foi conduzido de forma política.

- Fiz a autodefesa acreditando em um procedimento sério e com direito de ampla defesa. Depois descobri que se tratava de um procedimento conduzido de forma absolutamente política, sem direito a produção de provas. Tive que ir no Judiciário buscar o respeito constitucional ao devido processo legal - disse.

Com a liminar, os trâmites foram paralisados na Justiça e de antemão estão proibidos os encontros para tratarem do assunto. Havia uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Santos, presidido por Marcelo Teixeira, marcada pra o próximo dia 31 para debaterem o impeachment.

São dois pedidos de impedimento que correm no Alvinegro: um encabeçado pelo conselheiro nato Esmeraldo Tarquínio e outro por Alexandre Santos e Silva. Ambos foram entregues a Marcelo Teixeira, presidente do Conselho, no mês passado, e protocolados em junho.